Saltar os Menus

História

O Arquivo Distrital de Leiria, inicialmente denominado Biblioteca Erudita e Arquivo Distrital de Leiria, foi criado por Decreto n.º 2550-J, de 3 de agosto de 1916. Fundado por Tito Larcher, funcionou em precárias condições num espaço exíguo, de 1916 a 1927, no edifício do Paço Episcopal, junto à Igreja de S. Pedro.
Em 1928, foi transferido para as dependências da Sé, que sofreram algumas adaptações para o efeito, e neste local funcionaria até 1969. Em 1965, o Decreto-Lei n.º 46350, de 22 de maio, alterou-lhe a designação para Biblioteca Pública e Arquivo Distrital de Leiria. Em janeiro de 1970, foi novamente transferido, a título provisório, para o rés-do-chão e 1º andar da ala sul do edifício da Câmara Municipal de Leiria, local onde viria a funcionar até junho de 1997.

edificio3Em 1997, o Decreto-Lei n.º 60/97, de 20 de março, alterou-lhe a designação para Arquivo Distrital de Leiria e a 4 junho de 1997, foi inaugurado o atual edifício situado na zona histórica da cidade de Leiria.
O Decreto-Lei nº 103/2012, de 16 de maio, definiu a orgânica da Direção Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas, posteriormente, a Portaria nº 19/2012, de 19 de junho, definiu as competências das unidades orgânicas nucleares do novo organismo e o Despacho nº 9339/2012, de 11 de julho, estabeleceu as respetivas unidades orgânicas flexíveis e as suas competências.

O ano de 2016 assinalou os 100 anos sobre a data de criação do Arquivo Distrital de Leiria. Sob a égide da República, a partir de 1916, fomos assistindo à criação dos primeiros Arquivos Distritais, nomeadamente, o Arquivo Distrital de Leiria (Decreto n.º 2550-J, de 3 de agosto de 1916), o Arquivo Distrital de Bragança (Decreto n.º 2858, 29 de novembro de 1916) e o Arquivo Distrital de Évora (Decreto n.º 2859, de 29 de novembro de 1916 ).

100anosADLfundobrancoNa atualidade, como serviço público de âmbito regional, o Arquivo Distrital de Leiria, cumpre na sua área de intervenção, o determinado pela Direção-Geral dos Livros, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), órgão coordenador do sistema nacional de arquivo.

Partindo da premissa que disponibilizar, facilitar e dar acesso ao património arquivístico de que somos detentores é a prioridade, procuramos desenvolver um trabalho sistemático, a nível de descrição arquivística e da disponibilização de imagens, que permite ao utilizador aceder a um número significativo de recursos em linha.

Se um longo caminho já foi percorrido,  sentimos que temos ainda um grande trajeto pela frente. As atuais necessidades informativas do cidadão implicam que tenha a informação acessível na ponta dos dedos, o que exige aos profissionais da informação disponibilizar, de forma responsável, o maior número de conteúdos informativos em linha, contribuindo, assim, de forma ativa para a denominada Era da Informação.

 

Última Actualização: 9 de Janeiro de 2017